Como tudo começou!

de

Oi, pessoal, me chamo Elaine Cristina Malheiros, tenho 36 anos de idade e de amizade com a Fernanda Rosa. A partir de agora, todas as segundas-feiras, eu vou trazer um conteúdo diferente para o blog, afinal, quando a tua amiga de berço sugere um espaço tão bacana, não tem como negar, não é mesmo?

Neste post de estreia, eu vou contar um pouco da nossa história (para queimar o filme legal das duas aqui), porque não tinha como ser diferente, certo?

Era uma vez uma rua muito tranquila e pacata no bairro da Velha, em Blumenau (SC). Em meados dos anos 1980, nossos pais resolveram pedir filhos para a cegonha. Ela, a caçula de três irmãos, e eu, a primogênita dos meus pais. Pouco tempo depois do bate-papo com a cegonha, lá estávamos nós.

 

Vou pular a parte dos bebês chorões (que, com certeza, nós fomos) e passar para a parte da fase ‘adulta’, que era como a gente se achava entre os sete e 10 anos de idade. Quem nunca, hein?

Brincávamos muito de esconde-esconde, pega-pega, mata-soldado, Barbie (aqui, eu sou obrigada a abrir um parêntese, porque a nossa situação era a seguinte: morríamos de vontade de brincar de Barbie e assim que terminávamos de montar as bugigangas, olhávamos uma para a cara da outra e dizíamos: não queremos mais brincar).

De todas as ideias de brincadeiras possíveis que tínhamos, ainda sobrava tempo para andar de bicicleta e patins pela rua (que na época era muito desafiadora para descer), ou jogar stop de caderno e o pisa-pé, que também chamávamos de stop. Quanta criatividade!

Ah, dessa fase boa da infância eu não posso esquecer que nós tínhamos nossa própria rede social (sem ser rede social, claro!), que chamávamos de ‘Via Urgente Net’, criação da amiga blogueira, obviamente. Pode um negócio desse?

A rede até se parecia com o que temos hoje, mas pelo menos as pessoas eram criticadas em formato de carta, só pra elas, mesmo. Mas nem tudo era resumido a críticas para os nossos amiguinhos, nós também nos apaixonamos e nos desiludimos por ali, mas isso é assunto para uma outra hora.

Ah, quantas lembranças boas nós temos deste período. Agradeço a Deus, todos os dias, por isso. Afinal, fomos muito felizes com tudo o que passou. Por mais que a vida tenha tomado, muitas vezes, rumos diferentes, nós sempre mantivemos contato. Ah, quase esqueci de comentar que nossos pais moram no mesmo local até hoje, só não fizeram mais pedidos para a cegonha! kkkk

Com mais de três décadas nas costas, a amizade só aumenta. Seguimos respeitando o espaço da outra, suas opiniões (principalmente) e o jeito que cada uma decidiu levar a vida.

Muito legal lembrar a infância feliz que tivemos. Obrigada pelo espaço, que é pequeno, mas o blábláblá exige muita paciência de vocês, então é melhor dar uma de “Jack, o estripador, e seguir ‘por partes’, porque ainda tenho muito para contar da nossa trajetória de mais que amigas, friends.

Por hoje é isso! Semana que vem tem mais! Até lá!

Comments

comments

9 Responses
  • Daniela Andriolli
    março 22, 2021

    Nossa…. passa um filme na cabeça! Quantas lembranças lindas, que infância maravilhosa tivemos. Obrigada por partilhar e nos fazer relembrar esses momentos.

    • Fernanda Rosa
      março 23, 2021

      Sabe o que eu sinto? Que quando estivermos deprimidas ou cansadas… podemos relembrar toda essa nossa história que, tudo já terá valido à pena.

  • Fabíola
    março 22, 2021

    Nossa! Que delícia! Elaine, adorei o texto. Como vocês duas são talentosas e é gostoso reviver momentos!

    • Fernanda Rosa
      março 23, 2021

      Obrigada amiga! Já me sinto honrada por entrar na parte do elogio kkkk.

  • André Luiz Heimann
    março 23, 2021

    Que momentos bons passamos na nossa infância! Tomar banho de piscina na casa da Fernanda, ficar a noite na rua conversando até altas horas. Adorei o seu texto… muito bom!

    • Fernanda Rosa
      março 23, 2021

      Olha quem apareceu por aqui!! Que alegria ter notícias tuas Deco! <3

  • Fernanda Rosa
    março 23, 2021

    Quanta emoção! É inexplicável tudo o que vivemos juntos até hoje! Se pararmos para pensar, quanta riqueza nessa história, aventuras, aprendizado e muito amor envolvido. Fico muito feliz com a sua estreia aqui, minha amiga linda! Fique sempre à vontade para compartilhar seus textos neste espaço. Nós amamos!

  • Liane Rosa
    março 26, 2021

    Que história linda Elaine, sempre é bom relembrar!

O que você acha?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *